A Música

A música, no que concerne ao repertório, pode ser classificada em gêneros e estilos, a partir máxime dos elementos musicológicos específicos considerados (a saber, por exemplo: instrumentação e tessitura vocal; forma e estrutura; fórmula de compasso; ritmo; andamento; harmonia e contraponto; etc.), isso quando não se consideram, mais além, a forma ou o conteúdo do texto aplicado (letra ou libretto, no caso específico da música vocal), a funcionalidade (eis, por exemplo, o caso tanto das trilhas sonoras para produções cinematográficas ou televisivas quanto dos jingles e vinhetas publicitárias para veículos de radiodifusão) ou mesmo a data histórica em que a peça musical foi escrita (concernente à escola musical).
Referidas classificações são, não raro, arbitrárias e controversas, implicando, quase não quase sempre, discussões e até mesmo polêmicas, não só nos círculos sociais especializados (a citar, por exemplo, os círculos acadêmicos ou de musicólogos), mas outrossim entre o público ouvinte ou espectador. Tamanha dificuldade quanto à classificação do repertório musical em gêneros e estilos se acentua ainda mais a partir do início do século XX, quando, a partir do advento da música eletrônica (música que se utiliza também de recursos eletrônicos, fazendo ou não uso dos recursos acústicos), dadas maiores possibilidades criativas e interpretativas, os gêneros e estilos musicais, quantitativamente, multiplicam-se incontavelmente, mormente dentro da música popular.
Muitos não acreditam em uma classificação genérica de gêneros e estilos musicais logicamente consistente (opinião, aliás, que tem se constituído em tendência atualmente), bem como outros argumentam que a classificação, independente de motivo, acarreta necessariamente limitações (limitações estas que impõem fronteiras ao processo criativo e que, por conseguinte, prejudicam diretamente a evolução da música) - ainda que ninguém negue a possibilidade de se estabelecer semelhanças entre essa ou aquela peça musical, entre o estilo desse ou daquele artista ou grupo musical.
Enfim, é lídimo asseverar que os graus de popularidade em determinada região geográfica ou de complexidades criativa e interpretativa de um determinado gênero ou estilo musical são diretamente proporcionais ao número de subgêneros desse mesmo gênero ou estilo musical.